quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Mannaja - Um Homem Chamado Blade, 1977, Sergio Martino



Nessa lista de filmes cucamongos faltou citar algum faroeste, ou melhor um da terra da bota. Lá reinventaram o gênero prestes a caducar, inclusive dando ânimo para diretores mais ousadas nos EUA. Ao invés de citar clássicos dos Sergios Leone e Corbucci, trago este produzido no fôlego final do subgênero spaghetti, estrelando Maurizio Merli, astro italiano de ação, protagonista de muitos filmes policiais. 

O filme carrega fortes signos do estilo: o herói calado entrando numa cidade lamacenta dominada por algum coronel fanático (Django), passando flashes do seu passado trágico com direito a uma melodia de gaita angustiante (Era Uma Vez no Oeste). O diferencial, contudo, é usar esta fórmula para reapresentar uma história bem intrigante em comparação a copias mais escrachadas,  cheia de críticas sociais e cenas mais violentas. 


Tudo começa quando um foragido tem sua mão decepada por uma machadinha e é capturado por um caçador de recompensas conhecido como Mannaja/Blade (Maurizio Merli). Este leva o capturado para a cidade mais próxima para ter sua recompensa de 5 mil dólares. Na localidade não existe qualquer autoridade se não McGowen, dono do garimpo de prata explorando seus funcionários até que morram doentes. Ele também estabelece regras repressoras cortando a bebida e dançarinas de cabaré, somente o jogo é permitido no saloon. Essa moral cai por terra quando Mannaja observa que apesar de todo esse virtuosismo, os jogadores não deixam de trapacearem. 

Mannaja já arruma encrenca tentando ganhar o dinheiro burlando a trapaça feita por Valler,  braço direito do coronel, como resultado troca tiros contra seus comparsas de quebra usando seu machado contra os cachorros dele. O caçador de recompensas já vai na casa de McGowen tentando fazer uma proposta de defender seus lucros dos constantes saques feitos pelos criminosos da região, o problema comprometeu seriamente os seus lucros, afinal não é possível pagar a taxa da União e eles também miguelam soldados necessários para combater o problema. Ao mesmo tempo que Mannaja propõe o acordo, um flashback rápido gera o clima de ressentimento. McGowen o manda catar coquinho, Mannaja troca porrada contra Valler e trupe no meio da rua cheia de lama, para mais adiante ser vítima de uma avalanche de pedras dinamitadas pelo mesmo. 


Na segunda parte Valler tenta caçar Mannaja que se refugia na caravana de um cafetão que realiza shows de cabaré itinerante com suas garotas. O mocinho se apaixona por aquela que teria insistido em salvá-lo. Retornam para a cidade e dois problemas acontecem: A filha do coronel que teria sido mandada para aprender boas maneiras em Nova Orleãs é raptada e o próprio pune o show de cabaré na cidade com direito a chibatada em todas pela "indecência". Mais uma vez Mannaja enfrenta os candangos de McGowen e a partir daí eu deixo para você a missão de assistir. 

O clima é bem desolado, investiram um pouco mais na violência, na sujeira e num herói mais original na forma de atacar, valendo-se sempre dos tradicionais revólveres mas não deixando de lado suas machadinhas. O criticismo sobre a falsa moralidade acobertando a desonestidade e como o progresso distorcido pode significar  degradação moral e física para quem vive sob o seu domínio torna a produção um pouco acima dos seus congêneres mais baratescos. Uma coisa é certa, todos os personagens sofrem um puxão de tapete, não há ganhadores. A trilha sonora é bem densa, um som caipira desarranjado, gera um clima fechado. 



Pra quem já viu boa parte dos bangue bangues à italiana vai gostar de ver este da fornada final do segmento, concentrado de críticas, violência e um personagem mais original atacando com machado e revólver. Deixo abaixo o filme dublado para que você não precise viajar até o México para achar o DVD. 




3 comentários:

  1. cuca,

    um faroeste! nunca esperava por isso nesse blog.

    estava aguardando alguma obscuridade!

    abç!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gosto bastante desse gênero de filme, mas boa parte deles já são divulgados o suficiente. Por isso me concentrei num filme pouco conhecido dentro desse estilo.

      Excluir
    2. Boa! Tava só de brincadeira!
      Ótimo post!

      Excluir