sexta-feira, 21 de outubro de 2016

Capitão Falcão, 2015, João Leitão



Uma divertida comédia explorando o período ditatorial de António de Oliveira Salazar, tema considerado ainda tabu na história de Portugal. Capitão Falcão seria um super herói fascista com o dever de sufocar qualquer grupo que comprometesse o governo de Salazar, feito a polícia de Getúlio Vargas no Brasil. O diretor João Leitão quis fazer um herói ultra patriota idiota, tripudiando das bravatas nacionalistas daquele regime, lembrando o personagem Stan de American Dad!, idólatra do presidente, preconceituoso, fazendo de sua família mera cenografia para a sua fantasia patriótica. A comédia mistura o estilo nonsence de Monty Python  somando momentos de silêncio constrangedor enquanto parodia o seriado baitola do Batmá e do Besouro Verde.


Num ar de quadrinhos, a história conta sobre a necessidade de Salazar (José Pinto) ter a disposição uma divisão que atuasse sob a moita contra qualquer opositor do seu Estado Novo (inclusive adeptos da democracia). Para isso, o Capitão Gaivota recruta 6 soldados exemplares, mas um deles detona subitamente os outros 5, cegando o principal deles também. Este viria a se tornar o Capitão Falcão (Gonçalo Waddington), tendo ao seu lado o assistente Puto Perdiz (David Chan Cordeiro), o asiático porradeiro, mestre dos disfarces que nunca diz palavra alguma. Depois caminhamos para os tempos finais do governo Salazar em 1968. Inicialmente o seu medo é combater os opositores comunistas que podem por fim a "estabilidade" lusitana. Nessa primeira parte, Falcão enfrenta inimigos comunistas naquela visão paranoica macartista, surgindo proletários de macacão, barba, usando foice e martelo como armas, ou sua forma mais perigosa, os "comuninjas".


Há momentos hilários tipo ele se infiltrando num bar cheio de comunistas enfrentando feministas e um mago soviético. Noutro, Falcão repreende o filho sem se importar com o ninja comuna rendendo sua mulher ou o herói procurando um historiador explicando que os gradativos líderes vermelhos foram diminuindo a barba a ponto de ficarem irreconhecíveis. Tiram sarro inclusive das táticas de tortura usadas naquele tempo, aqui uma de dar pães doces e logo depois berrar ameaças.


Na segunda parte Falcão é emboscado pelos mesmos soldados do inicio da trama, os Capitães de Abril. Cada um representa uma cor tipo os Power Rangers, com direito a típica piada do Black ser o cara negro. Depois disso é explicado que os tais aspiras se encheram de ódio pela humilhação e quiseram sua vingança nem que fosse necessário se unir aos comunistas. Falcão através de um raio vira um barbudo subversivo e acaba indo pra cadeia. Essa parte rende outras piadas de rachar o bico: Uma é dando instruções ao filho na cadeia para pegar uma arma guardada na gaveta e atirar primeiro na mãe e depois no cara que "usurpasse' seu posto de chefe familiar. Uma segunda seria Falcão na cadeia intimidado com os presos gays aparecendo em momentos chave.

As piadas mesclam-se com os momentos de luta seguindo a premissa dos seriados antigos citados. Algumas são bem ridículas, outras mostram uma coreografia mais bem planejada, geralmente as cenas do Puto Perdiz. O filme guarda um monte de frases impagáveis: "Este é o problema dos comunistas, Puto Perdiz! Apoiam-se na força numérica mas depois quem sofre  é o individuo!", "O cérebro gentil e primitivo de uma mulher jamais aprenderia algo como auto defesa" esta quando Perdiz se disfarça como a esposa do herói.


Esse filme segundo consta, teria sido apresentado (ou parte dele) numa minissérie de 3 partes num canal português, bem depois parou nas telonas. Deve ter rendido o burburinho costumeiro quando algo contestador vem a baila, basta ver a questão do Brasil raramente falar sobre a ditadura militar.  Uma comédia controversa que tem sua importância ampliada por abordar o regime conturbado português mesmo que seja de modo escrachado. É aquilo, toda piada tem a sua pitada de verdade. A paranoia comunista mesmo hoje, perturba a mente de alguns, basta ver uns sequelados com medo que aconteça uma guerra civil no país. O link para assistí-lo eu encontrei apenas neste site, neste caso, aproveitem!

http://hdfilmesonlinegratis.net/capitao-falcao-dublado-online/


OBS: Tem uma cena pós crédito pra parodiar os filmes da Marvel. Mostra uma espécie de homem-flamingo rindo nas sombras.

3 comentários:

  1. É incrível porque apesar da zoeira tem muita coisa séria embutida no filme, até mesmo a produção estava acima do que eu esperava. Muito legal.
    Comunistas lutadores no estilo Changeman foi tenso kkkkkk

    ResponderExcluir
  2. Eles tiram sarro até do primeiro rei português, era pra lavar a alma esse filme.

    ResponderExcluir